A alimentação pode ajudar sua saúde mental?

1 mês atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

Saúde mental

O aumento de casos envolvendo doenças que afetam a saúde mental como ansiedade e depressão, são cada vez mais recorrentes e alarmantes.

A saúde mental se refere ao nosso equilíbrio e bem-estar psicológico e emocional. Ela se relaciona com toda a nossa forma de pensar, de fazer escolhas, como nos comportamos e como nos sentimos.

Já se perguntou como a alimentação e nutrição afeta a saúde mental e seus sintomas? Vamos te explicar aqui!

Fatores envolvidos

Muitos fatores são determinantes para a saúde mental e estão também relacionadas com o aparecimento de doenças, como:

  • As experiências traumáticas
  • Histórico familiar de problemas mentais
  • O equilíbrio químico cerebral
  • A genética
  • Os hábitos alimentares e o estilo de vida

Sim, a alimentação pode influenciar na saúde mental, como na saúde num geral. Se parar para pensar, é através da alimentação e suplementação que obtemos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo num todo.

Portanto a saúde do cérebro depende de aminoácidos, gorduras benéficas, e vitaminas, minerais e antioxidantes para um funcionamento regular.

Como a alimentação pode influenciar a saúde mental?

Em casos de problemas de saúde mental, a Nutrição não é um substituto aos cuidados essenciais, como o uso de medicamentos e psicoterapia, mas um complemento importante já que uma alimentação equilibrada pode ajudar sim na regulação de alguns componentes bioquímicos envolvidos na saúde do cérebro.

Os hábitos alimentares inadequados como uma dieta rica em açúcares refinados e gorduras saturadas pode prejudicar a função cerebral geral pois estimulam processos inflamatórios que são nocivos e contribuem para a depressão e ansiedade.

Por outro lado, muitos outros nutrientes estão diretamente associados com os processos bioquímicos do cérebro (benéficos para a prevenção e auxilio no tratamento de transtornos mentais), tais como:

  • Vitamina D
  • Vitaminas do complexo B
  • Triptofano
  • Minerais como zinco e magnésio
  • Ácidos graxos ômega-3 e ômega 6.

Conheça um pouco mais desses nutrientes, essenciais para a saúde mental:

Vitamina D:

Associada a melhora dos quadros de depressão, desempenha papel importante na formação e crescimento saudável dos neurônios, principalmente no desenvolvimento do cérebro durante a gestação. Também previne doenças neurodegenerativas – como Alzheimer, por exemplo.

Fontes alimentares: peixes como salmão, atum, sardinha, gema de ovo e cogumelos. Lembrando que a produção natural na pele é a principal fonte da vitamina D decorrente da exposição ao sol.

Vitaminas do complexo B:

São essenciais para a produção de neurotransmissores do Sistema Nervoso Central (SNC). A B12 em específico auxilia a manutenção da saúde neurológica, previne a demência e melhora o estado cognitivo.

Fontes alimentares: alimentos de origem animal, como carnes, ovos, leites e derivados. No caso da vitamina B9, pode ser encontrada em leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, fava), nozes e vegetais verde escuros.

Triptofano:

É um aminoácido que se converte em serotonina, que é um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar, essencial no combate à depressão e ansiedade e que regula os processos de comportamento e regula as emoções.

Fontes alimentares: cereais integrais, como aveia e quinoa, leguminosas, castanhas e nozes e também em suplementos nutricionais.

Zinco:

Aumenta o tempo de vida e a saúde das células do Sistema Nervoso Central, ajuda a prevenção de depressão e ansiedade.

Fontes alimentares: semente de abóbora, soja, castanhas, amendoim, amêndoas e alimentos de origem animal.

Magnésio:

Auxilia o metabolismo da serotonina, ajuda no combate da depressão e ajuda na regulação e na qualidade do sono.

Fontes alimentares: aveia, castanhas, nozes, banana, espinafre, alcachofra, beterraba e cereais integrais.

Ômega-3:

Ajuda na saúde das membranas cerebrais e na regulação de substâncias importantes para a modulação de neurotransmissores. A ciência já provou sua efetividade no tratamento de esquizofrenia.

Fontes alimentares: peixes de água fria como salmão, sardinha e atum.

É importante lembrar:

Muito além do consumo desses nutrientes benéficos para a saúde mental, é importante que eles sejam consumidos em quantidades apropriadas para resultados efetivos.

Às vezes não é possível atingir as quantidades suficientes apenas com fontes alimentares – como é o caso principalmente do Ômega-3, por exemplo – e a suplementação acaba sendo a melhor opção para suprir as necessidades de forma segura e prática.

Mas lembre-se, para todos os casos de problemas de saúde mental, a melhoria na alimentação não é o único passo a ser dado. O acompanhamento com profissionais como psiquiatras e psicoterapeutas é essencial e insubstituível.

Summary
Article Name
A alimentação pode ajudar sua saúde mental?
Author
Description
Confira o que uma boa alimentação pode fazer por você na prevenção e combate de problemas saúde mental.

Categorias -

Menu Blog
x