Dor de cotovelo pode ser caso médico

2 anos atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

dor_cotovelo_médico

A famosa dor de cotovelo, expressão usada para descrever momentos de inveja, ciúme ou tristeza por um amor não correspondido, pode ter causas muito além do estado emocional e é mais comum do que muitos pensam. Anualmente, a epicondilite lateral do cotovelo afeta de 1% a 3% da população adulta.

Apesar de ser conhecida como “cotovelo de tenista”, essa doença está longe de ser limitada aos jogadores de tênis. “É muito comum hoje em dia o paciente chegar ao consultório com queixa de dor de cotovelo”, afirma o ortopedista chefe do Hospital Villa-Lobos, Jorge Bitun.

Segundo o médico, apenas de 5% a 10% dos pacientes diagnosticados com a lesão praticam esse esporte. A epicondilite atinge homens e mulheres em igual proporção, principalmente entre 40 e 50 anos, e é mais frequente no braço dominante: pessoas destras tendem a sentir dor no cotovelo direito, já as canhotas se queixam de dores no lado esquerdo.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Causas da epicondilite lateral do cotovelo

Qualquer atividade que realize movimentos repetitivos de punho e dedos para cima pode gerar a epicondilite lateral, inclusive exercícios de musculação, movimentos no computador e os chamados prono-supinação, como os utilizados para usar uma chave de fenda.

A doença ocorre quando os músculos que fazem a extensão do punho e dos dedos, que tem origem na parte lateral do cotovelo, sofrem sobrecarga excessiva, o que gera um processo inflamatório. Caso esse excesso continue ocorrendo e a inflamação não melhore, podem se formar cicatrizes de fibrose, transformando uma dor esporádica em crônica.

Sintomas

A epicondilite causa dor na parte lateral do cotovelo, que pode irradiar para o antebraço e causar diminuição de força para a extensão do punho dos dedos. “A dor fica próxima a uma proeminência óssea e é bem identificada pelo paciente”, explica Bitun. O diagnóstico da doença é realizado por um ortopedista, por meio de ressonância magnética e exames complementares, como radiografia e ultrassonografia.

Tratamento

O primeiro passo é aliviar a dor. Para isso podem ser recomendados compressas de gelo, medicações analgésicas e anti-inflamatórias, órteses para punho, cintas na região do cotovelo, acupuntura e até fisioterapia. “Eventualmente, na fase mais dolorosa, podem ser realizadas infiltrações para alívio dos sintomas”, conta o médico. Em seguida, é iniciado o fortalecimento dos tendões e antebraço, de modo progressivo. A melhora da dor nem sempre é imediata e a resolução completa da doença pode levar até 1 ano.

Para evitar o surgimento da epicondilite ou tratar a dor, Bitun orienta melhorar a postura durante as atividades no computador, apoiar o antebraço completamente na mesa e usar apoios de teclado e mouse. Também é importante fazer pausas periódicas durante as atividades e se alongar sempre que possível.

 

style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Summary
Article Name
Dor de cotovelo pode ser caso médico
Author
Description
A famosa dor de cotovelo pode ser epicondilite lateral do cotovelo, também conhecida como cotovelo de tenista. Saiba as causas, sintomas e diagnóstico dessa doença.

Categorias -

NATUELIFE
x