Hipertensão: saiba tudo sobre a doença

3 meses atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

hipertensão: saiba tudo sobre a doença

A hipertensão é uma doença silenciosa que atinge 47,5 milhões de brasileiros, sendo que destes, 35,5 milhões não se cuidam, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). São números preocupantes, já que a hipertensão é fator de risco para doenças cardiovasculares, uma das principais causas de morte no Brasil, com 350 mil óbitos por ano.

A doença mata 57,5 mil pessoas por infartos e 63 mil por acidente vascular cerebral (AVC). “Sem falar nos que sobrevivem e passam a conviver com sequelas para sempre. Controlar a hipertensão pode aumentar em 16,5 anos a expectativa de vida”, afirma Weimar Sebba Barroso, diretor de Promoção da Saúde Cardiovascular da SBC. Ele ainda completa que o hipertenso deve tomar o medicamento prescrito, visitar o médico regularmente, cuidar a alimentação e praticar exercícios físicos.

Mas, não é bem isso que acontece. De acordo com o presidente da SBC, Marcus Bolívar Malachias, 80,4% das pessoas negligenciam a doença por não controlar os níveis de pressão arterial e não tomar o remédio prescrito. “No entanto, o índice de quem não se trata pode ser ainda maior, já que os estudos analisados são bastante heterogêneos e com baixa abrangência em áreas rurais, onde existe menor cobertura do Programa de Saúde da Família”, ressalta Malachias.

Afinal, o que é hipertensão?

A hipertensão, também conhecida como pressão alta, é a elevação da pressão arterial para 14 por 9 ou mais, quando o ideal é 12 por 8 (120 por 80mmHg). É causada, principalmente, pela contração dos vasos nos quais o sangue circula. Quando o coração bombeia o sangue pelos vasos contraídos, a pressão sobe e prejudica, além dos vasos, o coração, cérebro e rins. Com o tempo, os vasos podem endurecer, resultando no seu rompimento ou entupimento.

No coração, o vaso entupido pode causar infarto. No cérebro, leva ao AVC ou derrame cerebral, enquanto nos rins prejudica as suas funções, levando à falência renal.

Sintomas da hipertensão

Na maioria dos casos, a hipertensão não apresenta sintomas, no entanto, quando não tratada pode causar dor de cabeça, dispneia e visão borrada por conta das lesões provocadas no cérebro, olhos e coração. De acordo com Barroso, “basta realizar a medida da pressão de forma adequada no consultório ou em um posto de saúde para descobrir o problema e iniciar um tratamento, com orientação de um médico”.

Consequências da pressão alta

Quando a hipertensão não é tratada, pode levar a doenças cardiovasculares, insuficiência renal, derrame cerebral e cegueira.

Fatores de risco para a hipertensão

Os principais fatores de risco para a pressão alta são:

  • Obesidade
  • Hereditariedade
  • Idade
  • Má alimentação
  • Sedentarismo
  • Tabagismo
  • Alcoolismo
  • Alterações no peso
  • Resistência à insulina
  • Diabete mellitus
  • Dislipidemia

Como tratar a hipertensão

Além do acompanhamento médico e uso de medicamento, o tratamento para a pressão alta deve incluir mudanças no estilo de vida, como redução do peso, diminuição na ingestão de sal e de bebidas alcoólicas, bem como a prática regular de atividade física. O excesso de peso está diretamente ligado ao aumento da pressão arterial, por isso, o controle do peso é fundamental para prevenir e tratar a doença.

Alimentação para hipertensos

Manter uma alimentação saudável e equilibrada é essencial para a prevenção e tratamento da hipertensão. Por isso, algumas recomendações são indicadas:

  • Aumentar a ingestão de fibras: encontradas em frutas, verduras, legumes, cereais integrais, leguminosas e grãos integrais, as fibras são reconhecidas pelo poder de ajudar na diminuição da pressão arterial.
  • Consumir alimentos fonte de cálcio e potássio: o cálcio estimula a excreção urinária de sódio ajudando a controlar a pressão arterial. Suas principais fontes são: leite e derivados, vegetais de folhas verde escuras, tofu e sementes de gergelim. O potássio ajuda a controlar a pressão arterial, o colesterol e a glicemia. Ele é encontrado nas leguminosas, oleaginosas, leite, carnes e frutas, como banana, laranja, uva, kiwi e maracujá.
  • Incluir alho na alimentação: a alicina, princípio ativo do alho, impede a formação de trombos e diminui coagulação sanguínea, eventos frequentes nos hipertensos e que aumentam o risco cardiovascular. A alicina perde a sua função ao passar pelo processo de cocção, por isso, o ideal é consumir o alho cru.
  • Beber chá de hibisco: os polifenóis presentes no chá de hibisco auxiliam na melhora da circulação sanguínea e no controle os níveis da pressão, além disso, tem ação diurética.
  • Trocar o chocolate ao leite pelo amargo: o cacau, presente em maior quantidade no chocolate com concentrações a partir de 70%, é rico em polifenóis e compostos antioxidantes, que podem promover a proteção dos vasos sanguíneos e discreta diminuição da pressão arterial.
  • Reduzir o consumo de sal: o excesso de sódio eleva a pressão arterial. Os brasileiros consomem cerca de 12g de sal por dia, mais que o dobro estipulado pela Organização Mundial da Saúde, que é de menos de 5g diários. O consumo exagerado de sal é influenciado pela alta ingestão de produtos industrializados, como refrigerantes, sucos de caixinha, temperos prontos, embutidos, salgadinhos e alimentos prontos congelados. Dê preferência para temperos naturais à base de ervas e especiarias, como cebolinha, alecrim, manjericão, orégano, coentro e gengibre.

Dieta DASH

A dieta DASH (Abordagem Dietética para Hipertensão) foi desenvolvida a partir de estudos norte-americanos com o objetivo de controlar a pressão arterial em pessoas hipertensas. Para isso, preconiza a reeducação alimentar, estimulando o baixo consumo de sal, carne vermelha, doces, bebidas alcoólicas e o aumento da atividade física e da ingestão de peixes, aves e alimentos frescos, sendo adotada como um estilo de vida e não como uma dieta restritiva.

Ela promove o consumo de “gorduras boas”, como óleo de oliva, azeitona e oleaginosas, como castanhas, amêndoas e nozes, que ajudam a diminuir o “colesterol ruim” (LDL) do sangue e aumentar níveis do “colesterol bom” (HDL), minimizando o risco cardiovascular. Além disso, o ômega-3 e o ômega-6, também encontrados em peixes, são excelentes vasodilatadores, ou seja, promovem a dilatação dos vasos sanguíneos, o que faz baixar a pressão arterial.

Adote essas dicas e viva de forma mais equilibrada e saudável! Para continuar acompanhando informações sobre alimentação saudável, atividade física e bem-estar, assine nossa newsletter e receba conteúdos em seu e-mail. Caso tenha dúvidas, deixe um comentário!

Summary
Article Name
Hipertensão: saiba tudo sobre a doença
Author
Description
Saiba tudo sobre hipertensão, doença silenciosa que afeta o coração, cérebro e rins. Veja como controlar a pressão alta e quais alimentos podem ser consumidos.

Categorias —