Hormônios: o que são e quais suas funções

1 ano atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

Hormônio

Os hormônios (do grego “por em movimento”) são substâncias químicas produzidas por glândulas do sistema endócrino. Com ordens do cérebro, vários tipos de hormônios são secretados a todo tempo no corpo e suas ações permitem o bom funcionamento de todo organismo. A corrente sanguínea é o principal transportador e quando eles atingem seu destino, podem atuar como reguladores, controladores ou auxiliadores do órgão em questão e da sua respectiva função.

Hormônios sexuais

Esses hormônios começam a agir durante a puberdade e são os principais responsáveis pelo aparecimento das características femininas e masculinas, como crescimento dos seios, desenvolvimento do quadril e início dos ciclos menstruais, aparecimento de pelos espessamento das cordas vocais e início da produção de espermatozoides.

As mulheres estão mais vulneráveis às alterações fisiológicas decorrentes dos hormônios, que podem causar transtornos de humor devido ao ciclo reprodutivo que é capaz de deixá-las mais sensíveis a intercorrências sociais, psicológicas e fisiológicas.

Estrógeno

Hormônio feminino produzido pelo ovário. Atua no desenvolvimento das características femininas e é responsável pelo desenvolvimento do endométrio, aumento estoque de gordura da retenção de líquidos e dos sintomas de depressão e dores de cabeça, além de desregular os níveis de alguns nutrientes.

Progesterona

Hormônio feminino produzido pelos óvulos imaturos no ovário, responsável pela manutenção das células de revestimento do útero e pela produção do leite. Além disso, tem algumas atuações contrárias ao estrogênio: auxilia no uso da gordura como energia, regula os níveis de alguns nutrientes e é diurético e antidepressivo natural.

Testosterona

Produzida nos testículos, sua principal ação é desenvolver as características sexuais nos homens. Mas, também, atua na manutenção da densidade óssea, aumento da síntese proteica e deposição de glicogênio nos músculos, ou seja, é um hormônio anabólico. As mulheres também produzem esse hormônio, mas em menor quantidade que os homens.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Hormônio do crescimento (GH)

Hormônio produzido pela hipófise, no cérebro, e sua principal função é estimular o crescimento pela proliferação celular. Além disso, aumenta a síntese proteica em todas as células, mobiliza o tecido adiposo para fornecer energia e conserva as reservas de carboidrato. Sua secreção atinge maiores concentrações na adolescência e tende a diminuir com o passar dos anos.

Seus mecanismos ainda são incertos na literatura, mas sabe-se que diversos fatores podem influenciar a secreção do GH, incluindo o estado nutricional, quantidade e qualidade do sono, gordura corporal e a prática de atividade física ou grau de treinamento.

Hormônios da tireoide

T3 e T4

Secretados pela tireoide, precisam do iodo para serem produzidos e são responsáveis por promover o crescimento e o desenvolvimento normal das pessoas, atuando sobre todos os tecidos. Além disso, aumentam a velocidade metabólica e regulam a homeostase, como a produção de energia e calor.

TSH

Hormônio produzido e secretado pela hipófise na corrente sanguínea. Sua função é estimular a tireoide a produzir T3 e T4. É regulado pelo processo de retroalimentação negativa, ou seja, quando sua concentração e a concentração de T3 e T4 aumentam no sangue, a hipófise para de produzir e só volta quando essas concentrações estão baixas.

Insulina

É um hormônio secretado pelas células beta do pâncreas, quando há aumento da concentração de glicose no sangue. A insulina promove a entrada da glicose nas células, gerando a redução da glicemia e seu armazenamento no fígado na forma de glicogênio. Além disso, também participa do metabolismo de lipídeos e de proteínas.

Melatonina

É produzida e secretada pela glândula pineal, no cérebro, a partir da serotonina que, por sua vez, é convertida a partir do triptofano. Sua principal função é estimular o sono, sendo muito produzida na hora de dormir e tendo sua produção diminuída na hora de acordar. Além disso, ela controla a produção dos hormônios sexuais femininos, fortalece o sistema imune e tem efeito antioxidante nas células, prevenindo o risco de AVC e doenças degenerativas, como Alzheimer.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Reposição hormonal para mulheres: quando fazer

Estudos indicam que a melhor fase para iniciar a terapia de reposição hormonal é na perimenopausa. A terapia pode atuar como protetor cardiovascular, uma vez que 10 anos sem estrógeno endógeno pode aumentar os riscos de doença cardiovascular na mulher.

A terapia hormonal deve ser suspensa assim que os benefícios gerados não forem mais necessários ou quando a relação benefício/risco não for mais vantajosa.

Benefícios da reposição hormonal para mulheres:

  • Prevenção de fraturas devido à osteoporose
  • Diminui sintomas do climatério
  • Efeito positivo no humor e sono
  • Reduz o risco de diabetes
  • Reduz risco de doenças cardiovasculares e Alzheimer
  • Melhora a continência urinária

Reposição hormonal natural

Os fitoterápicos utilizados para aliviar as ondas de calor, comum na menopausa, são conhecidos como fitoestrogenos, já que são substâncias vegetais com estrutura similar ao estrógeno. Estudos científicos concluem que seu uso traz efeitos favoráveis sobre os famosos “fogachos”.

Os fitoestrogenos mais estudados são a isoflavona, encontrada na soja, e a lignana da linhaça. Vegetais como broto de alfafa também possuem.

Reposição hormonal engorda?

A reposição hormonal não aumenta a quantidade de tecido adiposo. O que acontece é uma redistribuição da gordura, principalmente no abdômen, seios e, algumas mulheres percebem aumento dos quadris também. Contudo, o estrogênio causa maior retenção de líquidos e melhora a disposição geral, o que pode ser entendido pelo cérebro como fome.

Durante essa fase, algumas mulheres se tornam menos ativas fisicamente e se entregam mais fácil à um prato saboroso. No organismo, há diminuição da função tireoidana, o que diminui a queima de calorias. Por isso, é importante ser orientada quanto dietas, exercícios físicos e mudanças dos hábitos de vida, sempre por um profissional.

Contraindicações da reposição hormonal

Pessoas com histórico pessoal ou familiar de câncer de mama, câncer de endométrio, tromboembolismo agudo, hepatopatia aguda ou grave, cardiopatia grave e sangramento uterino sem causa diagnosticada, não devem fazer reposição hormonal.

É importante salientar que antes do início de qualquer terapia, é necessário se consultar com um profissional da área. Só ele saberá instruir os horários corretos para consumir, quando começar e parar e o tipo de terapia a ser realizada.

Adote essas dicas e viva de forma mais equilibrada e saudável! Para continuar acompanhando informações sobre alimentação saudável, atividade física e bem-estar, assine nossa newsletter e receba conteúdos em seu e-mail. Caso tenha dúvidas, deixe um comentário!


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Summary
Article Name
Hormônios: o que são e quais suas funções
Author
Description
Saiba como os hormônios influenciam na saúde, conheça os hormônios sexuais e da tireoide, e quando é o melhor momento para fazer a reposição hormonal

Categorias -

NATUELIFE
x