INTOLERÂNCIA À LACTOSE: SINTOMAS E TRATAMENTO

3 anos atrás  Por  Equipe Natue     12 Comentários

Leite

O QUE É A INTOLERÂNCIA À LACTOSE?

A intolerância a lactose acontece quando há deficiência total ou parcial da enzima dissacaridase presente na mucosa intestinal, mais especificamente, a lactase, que é responsável pela digestão, ou seja, pela quebra da lactose em glicose e galactose. Sem a ação eficiente dessa enzima a lactose não consegue ser digerida e nem absorvida pelo corpo.

Uma vez a lactose não sendo digerida ou sendo parcialmente digerida, estas moléculas ficarão presentes no intestino causando uma ação osmótica, ou seja, a passagem espontânea de água do espaço extra luminal (de fora do intestino) para o espaço intraluminal (para dentro do intestino), a lactose não digerida também pode ser fermentada pelas bactérias presentes no intestino e estas  condições são as principais causas dos sintomas apresentados para quem tem intolerância a lactose.

SINTOMAS DA INTOLERÂNCIA À LACTOSE

Os sintomas da intolerância a lactose podem variar de acordo com o tipo da intolerância e a velocidade do esvaziamento gástrico, que podem se manifestar de formas diferentes para cada indivíduo. Normalmente os sintomas da intolerância a lactose são:

  • Cólicas
  • Flatulência
  • Distensão abdominal
  • Náusea
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Em alguns casos, há o aparecimento de aftas.

A intolerância grave em crianças, pode causar desnutrição e também pode interferir no seu desenvolvimento e crescimento.

TIPOS DE INTOLERÂNCIA À LACTOSE

A intolerância a lactose pode se manifestar por diferentes causas, de forma geral, é possível dividi-la em três causas principais:

  • Genética (primária): A pessoa possui alterações genéticas que sintetizam a enzima lactase, podendo ocorrer uma deficiência total na síntese ou parcial, esta diferença determinará o grau de intolerância de cada indivíduo. Aqueles com deficiência total são mais intolerantes a lactose do que aqueles com uma deficiência parcial. Nesses casos é comum que os sintomas da intolerância apareçam na infância ou em indivíduos adultos que por razoes hereditárias diminuem a síntese dessa enzima, conhecida como hipolactasia adulta;
  • Adquirida (secundária): Acontece quando o problema da ação enzimática se dá em função de alterações ou lesões permanentes no intestino, que pode acontecer na presença de gastroenterite, desnutrição, doença celíca, doença de Crohn, entre outras; após um quadro inflamatório, traumas ou cirurgias. Quando a intolerância é adquirida, a pessoa começa a manifestar os sintomas da intolerância após o evento que lesionou o intestino, o grau de intolerância nesses casos será definido em relação ao local e a extensão da lesão, sendo diferente para cada indivíduo.
  • Transitória: A intolerância a lactose transitória tem como característica o aparecimento dos sintomas em concomitância ou logo após à eventos que danificam a mucosa intestinal, é muito comum estar associada como episódios de diarreia ou uso de laxantes ou quando há disbiose intestinal. Estas condições tende a ser normalizada após a recuperação da mucosa intestinal, o uso de prebióticos, Probióticos ou simbióticos podem auxiliar nesse processo.

INTOLERÂNCIA À LACTOSE: DIAGNÓSTICO

Após o início dos sintomas da intolerância a lactose, é preciso passar por consulta com um médico, que irá solicitar exames complementares para auxiliar no diagnóstico e confirmação da intolerância a lactose.

Exames para diagnóstico de intolerância à lactose:

  1. Biópsia intestinal: É a análise da presença da enzima lactase no intestino feita a partir da retirada de um fragmento da mucosa duodenal por meio de endoscopia. Embora confiável, este exame é considerado bastante invasivo, fazendo com que os médicos optem por outras formas de diagnóstico;
  2. Teste de Tolerância à Lactose – Índice Glicêmico: Este exame verifica em quanto tempo e em qual quantidade acontecerá o aumento da glicemia (açúcar no sangue) após o consumo do preparado de lactose. Caso não haja alteração ou a alteração seja abaixo do esperado, pode-se constar a deficiência da ação enzimática na quebra da lactose, caracterizando a intolerância a lactose;
  3. Teste de Hidrogênio: Requer o consumo de um preparado a base de lactose para verificar a quantidade de hidrogênio que é expirado pelo indivíduo. Quando há deficiência na ação da enzima lactase na quebra da lactose, parte desse componente é fermentado pelas bactérias intestinais aumentando a concentração de hidrogênio expirado;

TRATAMENTO DA INTOLERÂNCIA À LACTOSE

Considerando as causas permanentes da intolerância a lactose, a única forma de tratamento desse distúrbio é seguir uma dieta sem lactose, ou seja, com a exclusão total de leite e derivados, dependendo da tolerância individual. Fora os alimentos que naturalmente não possuem lactose, como frutas, verduras, legumes, cereais, carnes, ovos e peixes, atualmente já existem disponíveis diversos produtos sem lactose ou lactose free, o que facilita a adesão a este tipo de dieta.

Há ainda a possibilidade de suplementação da enzima lactase, que pode ser prescrita por médicos ou nutricionistas. A dose e forma de consumo devem ser seguidas conforme orientação dos profissionais, pois dependerá do tipo e do grau de intolerância de cada indivíduo.

Muitas pessoas acreditam que as capsulas da enzima são um tratamento para a intolerância, e que desta forma a intolerância a lactose tem cura, no entanto, trata-se de um suplemento (e não um medicamento) que deve ser utilizado antes da ingestão de alimentos com lactose, mas que tem efeito pontual e não estimula o organismo a produzir lactase novamente.

DIFERENÇA ENTRE INTOLERÂNCIA À LACTOSE E ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE

A intolerância alimentar se dá pela dificuldade total ou parcial do corpo em realizar a digestão de determinado alimento ou nutriente. No caso da intolerância à lactose, o nutriente em questão é o carboidrato (“açúcar”) presente naturalmente no leite, a lactose. Já a alergia alimentar é caracterizada pela manifestação e ativação do sistema imunológico em resposta ao contato com determinada substância, no caso da chamada alergia ao leite (APLV), refere-se às proteínas presentes no leite de vaca como a caseína, alfa-lactoalbumina e/ou beta-lactoglobulina.

Summary
Article Name
INTOLERÂNCIA À LACTOSE: SINTOMAS E TRATAMENTO
Author
Description
Saiba o que é intolerância a lactose e tire suas dúvidas sobre a causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e como substituir o leite na alimentação.
Menu Blog
x