O uso de Probióticos no combate à obesidade

1 ano atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

Probióticos e obesidade

O uso de Probióticos no combate à obesidade

Ao mesmo tempo que a busca por um estilo saudável vem aumentando, a obesidade e o sobrepeso também! E por ser muito prejudicial à saúde, acabou de se tornando um problema de saúde pública. Mas o que muitas pessoas não sabem é a ligação existente entre obesidade e microbiota, e um dos principais fatores com efeitos benéficos para a microbiota é o probiótico! Um micro-organismo vivo, que quando ingerido, pode auxiliar no combate à obesidade.

O que são probióticos?

São micro-organismos vivos que exercem efeitos benéficos ao organismo, quando ingeridos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Esses micro-organismos são encontrados na forma de comprimidos ou em pós, em farmácias e/ou lojas de suplementos.

Os gêneros mais comuns usados nas formulações desses comprimidos são Lactobacillus e Bifidobacterium, presente em muitos remédios para casos de diarreia.

Já ouviu falar dos prebióticos?

Esses são ingredientes fermentados pelo nosso organismo e servem como substrato energético para os probióticos! São fibras, e assim, podem ajudar na manutenção da flora e estimular o trânsito intestinal. Os principais prebióticos são: frutooligossacarídeos (FOS), pectina, lignina e inulina.

Em relação à obesidade, os prebióticos podem ajudar na regulação da saciedade, o que pode auxiliar o processo de emagrecimento!

A microbiota

A nossa microbiota intestinal é formada por uma grande quantidade de bactérias, que estão relacionadas com a nutrição e o sistema imune.

A relação com a nossa microbiota é chamada de simbiótica, ou seja, nós fornecemos abrigo e nutrientes para elas e elas desempenham funções para nós, tais como:

  • Desenvolvimento do sistema imune;
  • Regula o acúmulo de gordura;
  • Degrada alimentos;
  • Fornece proteção contra doenças (compete o espeço com o micro-organismo causador de doenças).

Os probióticos são alimentados com nutrientes, mas estes devem ser de boa qualidade e com boa quantidade de fibras (prebióticos) para que elas desempenhem funções benéficas (protetoras e estruturais)! Além disso, fatores como idade, genética e hábitos culturais podem influenciar sua composição.

A obesidade

A obesidade e o sobrepeso são caracterizados pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, e isso pode ser muito prejudicial à saúde pois aumenta os níveis de triglicerídeos, níveis de insulina, níveis de LDL (colesterol “ruim”) e contribui para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

A causa da obesidade é multifatorial, e vai desde fatores dietéticos, estilo de vida até genéticos. Além disso, normalmente, vem acompanhada de diabetes, hipertensão e até infarto.

Obesidade e disbiose

A disbiose é comum em indivíduos obesos e quer dizer que, por haver predominância de bactérias “maléficas”, ocorre a interferência na absorção e vitaminas e minerais, alteração na forma de armazenar gordura, alteração nos níveis de glicose no sangue e a resposta aos hormônios (principalmente hormônios relacionados a fome e saciedade, como a grelina e leptina respectivamente).

O risco de desenvolver a disbiose aumenta com o consumo de alimentos refinados e processados, uso prolongado e frequente de antibióticos e laxantes e pouca ingestão de fibras. Assim, as bactérias maléficas prevalecem em relação as benéficas.

A cepa mais comum e relacionada à obesidade é a do gênero Firmicutes, uma bactéria patogênica. Essa cepa tem potencial para interferir no sistema e na manutenção da microbiota saudável, aumenta toxinas, aumenta a proliferação de fungos e ainda produz metabólitos como: amônia, aminas bioativas e promotores tumorais.

Como os probióticos vão agir sobre a nossa microbiota?

A ingestão de probióticos fará a colonização e o crescimento de micro-organismos benéficos, já que estes vão inibir a proliferação de bactérias patogênicas.

Como fazem isso?

Pela competição pelos locais de ligação! Assim, espera-se que o micro-organismo patógeno não consiga se ligar e desenvolver alguma doença no indivíduo.

 

Probióticos e a obesidade

Estudos demonstram que os probióticos podem auxiliar na redução do peso, diminuição da circunferência abdominal e quadril, melhora nos níveis de glicose, triglicerídeos, insulina e melhora no sistema imunológico. Também pode auxiliar em reduzir a gordura visceral abdominal e gordura subcutânea abdominal.

Além disso, com a suplementação de probióticos você estará ingerindo bactérias benéficas, que poderão prevalecer e ocupar os espaços para que as bactérias maléficas não atuem.

É importante lembrarmos que não basta apenas a suplementação dos probióticos, mas sim uma mudança no estilo de vida e na alimentação!

Como tomar os probióticos?

Não há uma recomendação específica sobra quantidade, momento e a forma (em pó ou comprimido), mas é comum tomar antes de dormir.

Tem efeitos colaterais?

Normalmente há o aumento do número de evacuações, mas nada fora do normal.

E mais pesquisas são necessárias na área de dosagem e ultra dosagem, já que há poucos relatos de dores de estômago e diarreia.

Summary
Article Name
O uso de Probióticos no combate à obesidade
Author
Description
Veja o que são os probióticos, quais seus benefícios e o mecanismos de ação do uso de probióticos no combate à obesidade.
Menu Blog
x