Reeducação alimentar: a melhor maneira de emagrecer

3 anos atrás  Por  Equipe Natue     5 Comentários

reeducação_alimentar_capa

Para emagrecer de forma rápida, muitos acabam aderindo às chamadas dietas da moda, com refeições extremamente restritivas e que não oferecem todos os nutrientes que o corpo precisa. O problema está em um único detalhe: além de causar problemas graves de saúde, esse tipo de alimentação não funciona a longo prazo, já que depois de alguns meses a pessoa volta a ganhar todo o peso anterior e até alguns quilinhos a mais. A maneira realmente eficaz de conquistar o corpo desejado é só uma, a reeducação alimentar.

Esse processo estimula a mudança de comportamento em relação aos alimentos e a adoção de hábitos mais saudáveis no dia a dia. “Geralmente, aprendemos a nos alimentar por repetição, ou seja, repetindo os hábitos dos nossos pais, avós ou pessoas de convivência próxima, muitas vezes até inconsciente, por isso, a educação alimentar trabalha a importância da alimentação adequada, para tornar a pessoa apta a ter escolhas melhores por conta própria”, explica a nutricionista Carolina Favaron.

Ao contrário do que muitos pensam, a reeducação não proíbe o consumo de doces ou fast foods, mas indica que esse tipo de alimento precisa ser ingerido de forma moderada, sem excessos. O segredo é manter uma alimentação equilibrada e eventualmente se permitir comer algo “não saudável”. Mas só de vez em quando, hein!


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Comer de 3 em 3 horas ajuda a emagrecer?

Segundo a nutricionista, quanto mais tempo passamos em jejum, maior será a concentração de um hormônio chamado grelina, responsável pela sensação de fome. Por isso, pessoas que passam muito tempo sem se alimentar tendem a exagerar nas refeições por causa do excesso de fome. “Também há o aumento do cortisol, conhecido como hormônio do estresse, que estimula o acúmulo de gordura, principalmente na região abdominal. Alimentar-se a cada 3 horas é uma maneira de manter os hormônios sob controle, além de manter o metabolismo ativo”, ressalta Carolina.

Mas existe outro ponto importante: é preciso priorizar a qualidade da alimentação, e não a quantidade. Não adianta diminuir a porção das refeições e comer mais vezes ao dia, mas continuar consumindo alimentos industrializados, gordurosos ou calóricos, por exemplo.

É caro se alimentar de forma saudável?

“Esse é um pensamento muito comum, mas acho que devemos entender como um investimento. Quanto melhor a minha alimentação, melhor será a minha saúde, menos vou ficar doente, menos vou gastar com remédios, perder tempo indo em médicos, me preocupando com o controle da pressão, da glicemia ou com as complicações que essas doenças trazem”, pondera Carolina.

Além disso, a nutricionista aponta diversas maneiras de economizar nas compras, como preferir frutas e verduras da época, que são mais baratas e ainda possuem menor concentração de agrotóxicos, ir à feira próximo ao horário em que está acabando para encontrar alimentos mais baratos, preparar refeições em casa ao invés de comer fora e priorizar os alimentos básicos, como arroz integral, feijão, ovos e raízes (como mandioca e batata-doce), que têm baixo custo.

Veja dicas de substituições práticas e saudáveis:

  • Em alguns dias da semana, substitua o pão branco por raízes como mandioca ou tapioca.
  • Evite comer pão em mais de uma refeição.
  • Alterne o consumo do arroz branco com o integral.
  • Experimente opções de leites vegetais, que podem ser usados em receitas ou até consumidos com café, vitaminas e shakes.
  • Troque o tempero pronto, industrializado, pelo sal de ervas.
  • Inclua frutas nos lanches intermediários.
  • Troque os alimentos fritos pelos assados, cozidos ou grelhados.
  • Fique atento aos alimentos light e diet, isso não é sinônimo de alimento saudável.
  • No lugar dos molhos industrializados, tempere a salada com azeite, limão e pouco sal.
  • Consuma frutas de sobremesa no lugar dos doces.
  • Trocar o consumo de refrigerantes e sucos industrializados por água e chás naturais. Os sucos de frutas também são ótimas opções, mas devem ser ingeridos em quantidades moderadas por ter alto teor de açúcar.

Temos mais uma dica especial para você: para encontrar alimentos gostosos e saudáveis, das melhores marcas e com os melhores preços, CLIQUE AQUI!


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Menu Blog
x