Conheça a síndrome do ovário policístico e como tratá-la

3 anos atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

Síndrome do ovário policístico

A síndrome do ovário policístico (SOP) atinge cerca de 6 a 10% das mulheres em idade reprodutiva e causa irregularidades no ciclo menstrual. Pode ser fator de risco para diversas doenças, como diabete e infertilidade, mas existe tratamento e a alimentação pode ajudar a controlar a SOP. Saiba o que é ovário policístico e como tratá-lo:


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

O que é a síndrome do ovário policístico?

A síndrome do ovário policístico é um distúrbio causado por desequilíbrios hormonais nas mulheres que levam à formação de cistos nos ovários, prejudicando a ovulação. É normal os cistos surgirem na ovulação e desaparecerem durante o ciclo menstrual. No entanto, em mulheres que apresentam a SOP, os cistos permanecem e causam alterações nos ovários. A portadora de ovários policísticos também possui maior produção de hormônios masculinos. A causa da SOP ainda é desconhecida, mas acredita-se que ela possa ter origem genética.

Sintomas do ovário policístico

Os ovários policísticos se caracterizam por hiperandrogenismo (excesso de andrógenos no sangue) e os principais sintomas de cisto no ovário são:

  • Irregularidade menstrual
  • Excesso de pelo em regiões como queixo, buço e seios
  • Acne e seborreia
  • Obesidade
  • Produção de hormônios masculinos além do normal
  • Dificuldade para engravidar
  • Resistência insulínica

O diagnóstico precoce da síndrome do ovário policístico é importante para evitar o desenvolvimento de doenças associadas, como obesidade, diabete tipo 2, câncer do endométrio, infertilidade e doenças do coração. Os exames para detectar a SOP envolvem a dosagem de hormônios, como LH, FSH e testosterona total, ultrassom e curva de insulina associada à curva de glicemia.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Tratamento para o ovário policístico

O tratamento para o ovário policístico tem como objetivo minimizar o hiperandrogenismo, regular o ciclo menstrual e prevenir a síndrome metabólica. O uso de anticoncepcional hormonal é comum para tratar o ovário policístico, pois ajuda a regular a menstruação. Além disso, é comum o procedimento cirúrgico para retirar os cistos.
A alimentação equilibrada também é aliada no combate ao distúrbio. A perda de peso é eficaz para diminuir o nível de andrógenos, melhorar a função dos ovários e, consequentemente, a resistência insulínica. Confira algumas dicas e saiba como a alimentação pode ajudar no tratamento da SOP:

  • Manter uma dieta com baixa carga glicêmica, priorizando carboidratos complexos, como cereais integrais, tubérculos (mandioca, batata-doce, inhame e mandioquinha), que demoram mais para serem digeridos e não causam picos de glicemia.
  • Evitar o consumo de alimentos gordurosos, que podem contribuir para a elevação da resistência à insulina.
  • Consumir abacate, castanhas e azeite de oliva extravirgem, que são fontes de vitamina E, nutriente importante para a prevenção de doenças cardiovasculares e melhora da insulina.
  • Preferir óleos vegetais, como azeite de oliva e óleo de linhaça, pois contribuem para a redução da resistência insulínica.
  • Consumir alimentos fonte de magnésio, mineral que ajuda a melhorar a sensibilidade a insulina e a diminuir o risco para doenças cardiovasculares. Ele está presente nas folhas verde-escuras, banana, abacate, semente de girassol e oleaginosas.
  • Praticar exercícios físicos com regularidade ajuda a melhorar a composição corporal, a função reprodutiva, a saúde cardiovascular e a controlar o peso e a insulina.
  • Comer a cada três horas mantém o metabolismo sempre ativo e aumenta a saciedade, evitando o consumo excessivo de carboidratos refinados.

E o ovário policístico tem cura? Não, pois a SOP é uma doença crônica, por isso é importante tratar os sintomas para minimizar os seus efeitos. A mulher com ovário policístico pode engravidar com tratamento para induzir a ovulação.

Diferenças entre ovário policístico e cisto no ovário

A principal diferença entre eles é o tamanho e número de cistos. Na SOP são encontrados diversos cistos com menos de um centímetro de diâmetro. Já os cistos nos ovários podem chegar a medir até 10 centímetros e não tem relação com a síndrome do ovário policístico.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Summary
Article Name
Conheça a síndrome do ovário policístico e como tratá-la
Author
Description
Síndrome do ovário policístico: saiba por que ela causa alterações no ciclo menstrual e veja como a alimentação pode ajudar no tratamento.
Menu Blog
x