Veja como a alimentação pode agravar ou diminuir a ansiedade

3 anos atrás  Por  Equipe Natue     Sem Comentários

ansiedade

É comum nos sentimos ansiosos, principalmente quando estamos prestes a ter aquela tão esperada reunião de trabalho ou quando o prazo de entrega daquele projeto acadêmico já está quase acabando, sem contar as datas comemorativas, aniversários e casamentos, que tem o dom de deixar a gente com calafrios!

Mas, não é nada saudável nos sentirmos sempre assim. Quando a ansiedade é excessiva e traz prejuízos sociais e para a saúde, é caracterizada como um transtorno, que gera medo exagerado e antecipado. Veja como é possível reverter esse quadro através da alimentação.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Relação de ansiedade e alimentos

Por ser um estimulante do sistema nervoso, a cafeína pode aumentar a ansiedade em algumas pessoas, por isso os ansiosos devem evitar tomar muito café e, principalmente, suplementos à base de cafeína. Outros alimentos como guaraná e chás (chá preto, chá mate, chá verde e outros chás da camellia sinensis) devem ser consumidos com cautela, pois também são fontes de cafeína. Também é bom evitar o consumo dos seguintes alimentos:

  • Gordura saturada, presente em alimentos de origem animal, especialmente as carnes: provoca aumento da inflamação no organismo, prejudicando o sistema nervoso, além de aumentar o cortisol, hormônio do estresse.
  • Bebidas alcoólicas: geram rápida sensação de euforia, que pode provocar um efeito rebote logo em seguida, aumentando a ansiedade. Além disso, atrapalham a absorção e a ação de vitaminas e minerais importantes para a liberação de neurotransmissores que controlam o humor.
  • Carboidratos refinados (como farinha de trigo, açúcar branco e arroz branco): não são fontes de triptofano e vitaminas e minerais importantes para o controle da ansiedade, como os carboidratos integrais. Também agravam a compulsão alimentar, pois geram rápida sensação de bem-estar e satisfação, mas é uma sensação que passa muito rápido, gerando mais ansiedade e necessidade de comer carboidratos. É um mecanismo parecido com o do álcool e de outras drogas que geram picos de satisfação, mas quando o efeito passa fazem nosso corpo pedir mais para ter a mesma sensação boa.
  • Alimentos altamente industrializados: são ricos em aditivos químicos (corantes, aromatizantes e conservantes), que aumentam a inflamação e liberação de cortisol, além de prejudicarem o sistema nervoso.

O que ajuda no tratamento da ansiedade?

Algumas vitaminas, minerais e aminoácidos são necessários para auxiliar no tratamento da ansiedade, por isso é importante ficar ligado na alimentação.

  • Vitamina C: ajuda a controlar o estresse e reduz o risco de desenvolvermos ansiedade e insônia. A vitamina C auxilia na produção de neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar, como a serotonina. Além disso, auxilia na redução dos níveis de cortisol, o hormônio do estresse. Onde encontrar? Frutas cítricas, caju, morango, mamão, kiwi, goiaba, além de vegetais como pimentão e brócolis.
  • Vitamina D: manter níveis adequados de vitamina D evita sintomas de ansiedade e até psicose. Onde encontrar? Alguns alimentos que fornecem vitamina D são gema de ovo, cogumelos e sardinha. Tomar sol – 15 minutos de sol por dia também ajuda a obter a vitamina D.
  • Vitaminas do complexo B (especialmente a vitamina B6, além de B1, B5, B9 e B12): importantes para a conversão de triptofano em serotonina, ajudam a combater a ansiedade, inclusive durante a TPM. Onde encontrar? Cereais integrais, germe de trigo, banana, oleaginosas como a avelã e vegetais verde-escuros, como o espinafre.
  • Magnésio: tem ação antidepressiva, reduz sintomas de fadiga (como músculos tensionados e tremor nos olhos) e melhora a qualidade do sono. Onde encontrar? Sementes oleaginosas como castanhas e chia, na banana, alcachofra, espinafre, beterraba, iogurte natural e cereais integrais, como o arroz integral.
  • Zinco: melhora a qualidade do sono e está envolvido com diversos processos do sistema nervoso, que podem evitar a ansiedade e depressão. Onde encontrar? Semente de abóbora, soja e castanhas.
  • Outros: chás de camomila, maracujá e melissa têm ação ansiolítica (combate à ansiedade).
  • Aminoácido triptofano: é o aminoácido que é convertido em serotonina, neurotransmissor do bem-estar e relaxamento, e por isso pode ter papel importante no tratamento da ansiedade, ajudando também a reduzir a compulsão por doces e carboidratos, que podem ser recorrentes da ansiedade e da baixa de serotonina. Onde encontrar? O triptofano pode ser encontrado em suplementos manipulados, prescritos por médico ou nutricionistas, além de alguns alimentos, como: cereais integrais (principalmente a quinoa e a aveia), leguminosas (feijão, soja, lentilha e grão-de-bico), oleaginosas (avelã, castanha-do-Pará, nozes, amendoim) e leite.


style="display:block; text-align:center;"
data-ad-layout="in-article"
data-ad-format="fluid"
data-ad-client="ca-pub-7878685036491382"
data-ad-slot="6234138731">

Summary
Article Name
Veja como a alimentação pode agravar ou diminuir a ansiedade
Author
Description
Problemas de ansiedade? Veja como a uma boa alimentação pode influenciar na melhora deste transtorno compulsivo.
Menu Blog
x